Dono de Lava Jato é investigado por poluir córrego com produto tóxico

Córrego poluído por produto químico em Araputanga – Foto: divulgação

O empresário Wilis Antônio Santos de Oliveira, de 27 anos, dono de um lava jato no município de Araputanga (MT) foi preso na tarde desta sexta-feira (8) acusado de causar poluição no Córrego Buriti, que corta a região central da cidade. O córrego ficou totalmente vermelho parecendo sangue, o que causou um verdadeiro alvoroço na população local.

Um boletim de ocorrência por danos ambientais foi registrado na delegacia de Polícia Civil de Araputanga. Conforme as investigações iniciais, o córrego ficou totalmente vermelho devido ao material despejado pela tubulação de esgoto, sem qualquer tratamento, diretamente nas águas do córrego.

As investigações levaram as equipes de segurança até um lava-jato de um posto de combustível. O responsável pelo estabelecimento foi localizado e encaminhado à delegacia para os devidos esclarecimentos.

Córrego poluído por produto químico em Araputanga – Foto: divulgação

O acusado disse aos policias que lavou um contêiner sujo de tinta guache vermelha, semelhante ao material encontrado no córrego. Durante a lavagem, os resíduos teriam seguido pela tubulação saindo uma grande quantidade que atingiu a rede fluvial e caiu direto no córrego. Wilis disse ainda que ao perceber que estava saindo muito produto interrompeu a lavagem.

O fato chamou a atenção dos moradores e a situação repercutiu pelas redes sociais. Em poucos minutos diversas pessoas estavam às margens do córrego para ver o ocorrido. O córrego Bacuri, corta a região central de Araputanga e ficou completamente vermelho como se fosse sangue.

O proprietário foi ouvido e liberado em seguida. No entanto, deverá responder pelo crime ambiental. O caso continua a ser investigado pela Polícia Civil.

Córrego poluído por produto químico em Araputanga – Foto: divulgação
BANNER

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 + 3 =