Taques terá que explicar contratação de 1.030 servidores

O desembargador Pedro Sakamoto, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), determinou que o governador Pedro Taques (PSDB) apresente, no prazo de cinco dias, explicações sobre a suposta contratação irregular de servidores públicos nos três meses que antecederam o pleito eleitoral deste ano.

Taques, que saiu derrotado da campanha, foi acusado pelo Ministério Público Eleitoral de contratar 1.030 servidores entre professores temporários, vigilantes, nutricionistas e técnicos administrativos no período vedado pela legislação eleitoral.

A conduta, segundo o Ministério Público, caracteriza abuso de poder e conduta vedada.

No despacho, publicado na última terça-feira (30), o desembargador também determinou que a Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Lazer, forneça informações no tocante à “comprovação da correspondência entre as contratações temporárias e a ordem dos aprovados do PAS/2018”.

Ainda no despacho, Sakamoto designou para o dia 12 de novembro, às 14 horas, no TRE, a oitiva das testemunhas arroladas no processo eleitoral.

Na representação, a procuradora eleitoral Cristina Nascimento de Melo ressaltou que o problema de realização de contratações irregulares de servidores públicos não é novo e que já foi enfrentado em outras eleições em Mato Grosso e enfatiza que, por este motivo, realizou reuniões preventivas com a Seduc.

Fonte:Folha Max

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quinze − 7 =