Funcionário de Laticínio apanha e acusa empresa concorrente de tentativa de homicídio

Um técnico agropecuário de 33 anos foi agredido, ameaçado e vítima de tentativa de homicídio enquanto seguia para trabalhar, nesta quarta-feira (31), na região do Assentamento Canudos, cerca de 8Km de Pedra Preta (a aproximadamente 31 Km de Rondonópolis). A suspeita é de que as agressões contra a vítima partiram a mando dos representantes de uma empresa concorrente sediada em Pedra Preta que não aceita perder o leite dos produtores rurais da região.

A vítima é representante de vendas de uma empresa de laticínio com sede em Dom Aquino e faz compras de leite de produtores rurais. O trabalhador disse que estava no local para fazer a instalação de dois tanques de refrigeração para armazenamento de leite em duas propriedades da região, mas que foi abordado e agredido por um homem.

O técnico disse que o proprietário da empresa de Pedra Preta ligou para o proprietário da empresa de laticínio de Dom Aquino e pediu para ele não pegar o leite da região e que não estava disposto a perder as vendas.

O representante de vendas estava em uma motocicleta, quando em uma curva deparou com um indivíduo parado em uma porteira ao lado de um veículo Fox de cor grafite. O suspeito sinalizou para que a vítima parasse.

Diante da situação, o técnico parou a moto e o suspeito o chamou pelo nome e perguntou se ele era o responsável pelos tanques de leite. Desconfiado da situação, a vítima mentiu o nome, mas como estava uniformizado, o suspeito começou a ameaçar falando para ele desistir do leite da região e para ele retirar os tanques do local.

A vítima foi agredida com chutes, socos e coronhadas de arma de fogo. O suspeito ainda mandou a vítima entrar no mato e atirou em direção do pé e da cabeça do rapaz.  O técnico conseguiu correr e fugir pelo mato. Enquanto a vítima fugia o agressor gritava pronunciando “dessa vez você deu sorte…. Mas não volte mais aqui”.

Vendo o suspeito apontando a arma de fogo em sua direção, o representante de vendas fugiu em busca de socorro. O agressor fugiu em direção da cidade de Pedra Preta.

O técnico disse que correu por cerca de 5 Km e ficou por aproximadamente 2h no mato. “Depois eu consegui pedir ajuda para o motorista de uma ambulância que passou pelo local. A concorrência precisa ser livre. Eu sou pago para fazer o meu trabalho e agora me sinto ameaçado. O suspeito deixou bem claro e explicou o motivo que eu estava apanhando. Ele disse para eu não mexer com o leite e eu implorei para não morrer. ”

O técnico teve várias escoriações pelo corpo e passou por atendimento médico. Nenhum dos disparos de arma de fogo atingiram a vítima.

A Polícia militar (PM) foi acionada e o Boletim de Ocorrência (BO) registrado com n° 2018.340180.

Fonte:Agora MT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

14 − 1 =