Estado de MT: paralisação convocada por sindicatos tem baixa adesão

A paralisação geral dos servidores públicos de Mato Grosso, com indicativo de greve geral, realizada nesta terça-feira (12)  nao parece ter tido grande adesão do funcionalismo do Estado até o momento. O movimento reivindica a garantia de pagamento da Revisão Geral Anual (RGA), o fim do escalonamento da folha salarial e do parcelamento do 13º salário.

Conforme levantamento obtido de um universo de 3 mil servidores da Secretaria de Estado de Fazenda, apenas 66 teriam cruzado os braços. Na Secretaria de Infraestrutura, somente o setor de Tecnologia da Informação teria paralisado as atividades e da Secretaria de Planejamento, apenas 12 pessoas responsáveis pelas perícias médias, que foram reagendadas.

Da Secretaria de Ciência e Tecnologia, seriam apenas 11 servidores parados, sendo que o atendimento permanece funcionando normalmente. Também teria havido pouca adesão de funcionários da Secretaria de Trabalho e Assistência Social – somente o Ganha Tempo do VG Shopping não atenderá no período da tarde. No Procon, apenas os fiscais teriam paralisado as atividades.

Ainda segundo o levantamento, nos setores da Saúde, o Centro Integrado de Assistência Psicossocial Adauto Botelho está com 100% do sistema de plantão funcionando e 30% administrativo. O Centro de Reabilitação Integral (Cridac) e o Centro Estadual de Odontologia (Ceope) estão com 30% do efetivo trabalhando, assim como o Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e o MT Laboratório.

Pelos dados obtidos pelo LIVRE, a Assistência Farmacêutica está funcionando 90% e o MT Hemocentro, quase 100%. No Centro Estadual de Referência de Média e Alta Complexidades (Cermac) o funcionamento está normal, assim como no Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).

Dos Hospitais Regionais, o de Sorriso teria tido a maior adesão e estaria com 60% dos serviços funcionando, sendo eles apenas os relacionados à urgência e emergência. Foram canceladas as cirurgias eletivas e atendimentos ambulatoriais. O Regional de Colíder está funcionando 90%, os de Sinop, Alta Floresta e Cáceres estão com atendimento normal e o Hospital Regional de Rondonópolis está funcionando 100%, mas à noite há uma expectativa de redução, uma vez que o plantão é feito em grande parte por servidores efetivos.

O Hospital Metropolitano está 100% funcionando, a Escola de Saúde Pública, 50%, e os Escritórios Regionais de Saúde, 30%.

De acordo com o levantamento, na Educação, 51 das 74 escolas estaduais de Cuiabá paralisaram as atividades. Já em Várzea Grande, foram 23 das 46 escolas. O levantamento da Seduc no interior ainda não foi finalizado.

Não teria havido adesão de funcionários do Departamento de Trânsito (Detran), das Secretarias de Cultura, de Agricultura Familiar, de Segurança Pública e de Desenvolvimento Econômico, da Controladoria-Geral e da Procuradoria-Geral do Estado, do MT Prev, da Junta Comercial, da Empaer, do MT Saúde e da MTI.

Fonte:O Livre

COMPARTILHAR

Comentários