BR-163 volta a ser interditada por conta das chuvas; carretas já estão enfileiradas

Caminhões que saem de Mato Grosso e fazem o transporte de commodities e mercadorias com destino ao porto de Miritituba, no Pará, estão parados na BR-163 devido aos atoleiros. Nesta sexta-feira (23), trecho da BR que corta o Brasil de Norte a Sul voltou a ser interditado devido às condições da via. Esse seria o terceiro dia de paralisação. Não se sabe ainda o tamanho da fila de carretas.

Segundo informações recebidas  de um caminhoneiro que não quis se identificar, a interdição é feita pelo Exército Brasileiro, em trecho de “serra” próximo a vila Santa Júlia, entre os municípios Novo Progresso e Moraes de Almeida.

Com mais de 40 anos de existência, a BR-163 se tornou a principal rota para o escoamento da produção agrícola mato-grossense. Em fevereiro deste ano, alguns caminhoneiros ficaram parados no mesmo ponto e próximo a Trairão.

De acordo com o caminhoneiro, que está preso no bloqueio, o Exército interditou a rodovia nesta tarde devido a chuva forte de cai. “Ninguém vai, ninguém volta por causa da chuva”, informou.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), em nota, disse estar trabalhando na manutenção do trecho entre Moraes de Almeida e Novo Progresso, no Pará, onde, segundo a publicação “o tráfego se vê prejudicado pela presença de duas serras que impõem rampas elevadas e difíceis de serem vencidas, principalmente por caminhões em dias de chuva”, a informação é do diretor de Infraestrutura Rodoviária do Dnit, Luiz Antônio Garcia.

Segundo ele, somente 46 km da BR ainda não foram pavimentados entre Cuiabá e Santarém. No local, o Dnit realiza, em parceria com o Exército Brasileiro, obras de terraplanagem, encascalhamento e detonação de rochas com o objetivo de reduzir as rampas. “Esse trabalho está sendo feito enquanto a pavimentação asfáltica não é feita”, esclarece o diretor.

 

Fonte:O Livre

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezenove − 10 =