Quase 3 mil pessoas são monitoradas por tornozeleiras eletrônicas em MT

Cada sentença define uma maneira diferente

O estado de Mato Grosso monitora quase 3 mil pessoas através de tornozeleiras eletrônicas. O número muda todos os dias, mas o último levantamento da Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos apontou 2.996 pessoas com tornozeleiras.

A medida, de acordo com a Secretaria, já gerou uma economia superior a R$ 5 milhões aos cofres do estado. Isso, porque cada tornozeleira tem um custo mensal de aproximadamente R$ 250 por reeducando e se ele estivesse preso o custo mensal seria superior a R$ 2 mil.

Hoje 70% das pessoas monitoradas no estado estão em Cuiabá. Na maioria dos casos crimes relacionados a violência doméstica, ou cometidos sem violência ou progressão de regime.

Não existe um padrão no monitoramento, cada sentença define uma maneira diferente. Por exemplo, alguns podem ser de medida restritiva para que não se aproxime da vítima de ameaça de violência, outros que devem estar em casa em determinados horários.

 

Fonte: AgoraMT

COMPARTILHAR

Comentários