Excluído por Mauro, deputado ameaça disputar Governo de MT

O PDT e o PRB já estudam romper com o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), e lançar uma chapa “limpa” nas eleições deste ano. A alternativa surgiu em meio aos rumores de que Mendes optou por ter o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) numa das vagas ao Senado em detrimento do deputado federal Adilton Sachetti (PRB).

A ideia teria surgido por parte de um grupo partidário e empresarial que apoia Sachetti ao Senado. Essa seria a cartada final para não deixar o deputado de fora das eleições em um cargo na majoritária.

Numa eventual “junção” de PDT e PRB, Sachetti sairia candidato ao Governo do Estado. Já o vice seria o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), cotado para o mesmo cargo na chapa de Mauro Mendes.

O grupo, considerado “limpo”, ainda atrairia a juíza aposentada Selma Rosane Santos Arruda (PSL), que disputaria uma das vagas ao Senado. A possibilidade seria de agrado da magistrada, pois os partidos não têm nenhum de seus líderes processados por corrupção na 7ª Vara Criminal de Cuiabá, que era titular até março deste ano.

Ex-prefeito de Rondonópolis e deputado federal, Sachetti tem como “trunfo” o apoio irrestrito do ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP). Ele já anunciou sua preferência pelo “compadre” a qualquer cargo que disputar e pode levar junto a chamada “turma da botina”.

“Meu voto é do Adilton e todos os candidatos a governador conhecem a relação que eu tenho com Adilton. Agora se quiserem levar em conta isso, tudo bem”, declarou Maggi nesta semana.

Recentemente, o PDT comentou sobre o caso e demonstrou desgaste com a indefinição. Logo em seguida, declarou apoio a Sachetti para ocupar a vaga no lugar de Fávaro. “Adilton Sachetti é pré-candidato ao Senado e nós estamos preocupados como vamos ajustar isso. Talvez nós busquemos até uma candidatura avulsa para ele estar conosco”, disse o presidente regional do PDT, deputado estadual Zeca Viana.

 

Fonte: FolhaMax

BANNER-NETWORK
COMPARTILHAR

Comentários