Vítima pode comunicar roubo e furto de veículos direto no site da PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) desenvolveu uma ferramenta para facilitar que veículos roubados e furtados sejam identificados e recuperados. A vítima deve se cadastrar no site O Sistema Sinal e em seguida a PRF, verifica se os dados fornecidos pela vítima estão corretos e repassa aos policiais em um raio de 100 km de distância do local do crime essas informações para que fiquem atentos nas estradas.

O site Agora Mato Grosso foi até o posto da PRF de Rondonópolis e falou com o chefe da 2ª Delegacia da PRF, o Inspetor Audynei, afim de sanar as dúvidas sobre quais os procedimentos a vítima deve tomar, em caso de roubo/furto de seu veículo.

Segundo ele, após realizar um cadastro, uma mensagem do tipo “pop-up” será encaminhada para os telefones funcionais de todos os policiais “. Todos os policiais que estejam em serviço operacional num raio de 100 km do local da ocorrência, ou por onde o veículo possa vir a passar. Assim os veículos poderão ser localizados e recuperados mais facilmente”, explica.

Os agentes da PRF poderão acessar os dados lançados no SINAL para conferir as informações e caso necessário rejeitar a denúncia se verificado que se trata de falso relato.

Para inclusão de registro, o cidadão deverá acessar o ícone “SINAL” pelo portal da PRF ou diretamente pelo link www.prf.gov.br/sinal. Ao concluir o preenchimento do formulário o registro automaticamente será reportado aos policiais nas consultas dos sistemas da PRF.

“Comprovadamente, a probabilidade de recuperação de um veículo é maior nas primeiras horas após a ocorrência do fato. Assim, o Sistema Sinal supre uma importante necessidade, pois disponibiliza aos policiais rodoviários federais em todo o país, imediatamente após o registro, informações de ocorrências de furto/roubo de veículos, tornando-se uma eficiente ferramenta no combate a esse tipo de crime”, explica.

A PRF ressalta que o registro no SINAL não substitui a necessidade de lavratura de boletim de ocorrência presencialmente junto a Polícia Civil.

 

Fonte: AgoraMT

 

BANNER-NETWORK
COMPARTILHAR

Comentários