À espera de nomeação, concursados da Agepen fazem protesto na Câmara

Wagner Silva de Jesus | Representante dos aprovados no concurso de Agente Penitenciário – Foto: AgoraMT

Os agentes penitenciários, aprovados pela Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso), fizeram uma manifestação na Câmara Municipal de Rondonópolis, na tarde desta quarta-feira (11). Os concursados protestaram pela demora na nomeação e pediram o apoio da Casa de Leis para pressionar o governo.

Cerca de 30 manifestantes seguraram cartazes e uma faixa pedindo que o governo faça a nomeação dos remanescentes do concurso para ajudar no déficit de agentes penitenciários do Estado e na cidade de Rondonópolis.

De acordo com o representante da comissão de remanescentes, Vagner Silva de Jesus, o objetivo da manifestação é chamar a atenção do poder público e da população. Segundo ele, o governo oferece vagas inferiores ao número de aprovados. “Temos um déficit de agentes penitenciários, estas vagas devem ser preenchidas. São mais de 120 aprovados só em Rondonópolis. Daqui uns dias vamos estar igual ao Rio de Janeiro”, afirma.

Vale ressaltar que no final do mês de março, cerca de 59 reeducandos da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá (a aproximadamente 220 km de Rondonópolis) foram transferidos para a Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, a Mata Grande, em Rondonópolis. O problema é que a unidade está superlotada e o número de agentes penitenciários lotados no local é menor do que ideal, segundo a categoria.

A penitenciária de Rondonópolis tem capacidade para 892 presos, mas, antes mesmo da transferência, já contava com 1.320 detentos, segundo a própria Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

O representante Vagner ainda afirmou que o Governo recebeu mais de R$ 52 milhões de Fundo Penitenciário e ele não conseguiu gastar. “Olha só, ele não conseguiu gastar e o dinheiro vai voltar, dá para acreditar nisso? Ele comprou mil coletes e deu na cidade de Água Boa, comprou munição e spray de pimenta, e o dinheiro vai voltar, ou ele gastou R$ 52 milhões em coletes?”, finaliza.

 

Fonte: AgoraMT

COMPARTILHAR

Comentários