Filha de deputado afirma que trocava mensagens e fotos com personal

Alan Cosme / Hipernotícias

A filha do deputado estadual Pedro Satélite (PSD), a adolescente S.F.W, de 14 anos, confirmou, durante depoimento ao delegado Daniel Valente, titular da Delegacia Especializada em Direitos da Infância e do Adolescente (Deddica), na tarde de terça-feira (16), que trocava mensagens e fotos com o personal trainer, E.M, pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. A informação foi confirmada por uma fonte do HiperNotícias.

No entanto, durante o interrogatório que durou pouco mais de uma hora, a adolescente negou que tenha se encontrado pessoalmente com o instrutor, fora da academia onde o personal trabalha, em Cuiabá. A menor disse também que não acredita que o educador físico tenha compartilhado as suas fotos nas redes sociais.

“A menor relatou que trocava mensagens e fotos com o personal. No entanto, negou que tenha encontrado com ele pessoalmente, negou que tenho tido um relacionamento com ele. Mas, ela disse que o instrutor ficava a chamando para sair, a instigando a encontrar com ele. Esse parece que seria o único crime denunciado pelo deputado e a sua ex-esposa. Contudo, tudo será investigado pela Polícia Civil”, disse uma fonte da reportagem.

A adolescente prestou depoimento um dia depois do deputado estadual Pedro Satélite e a sua ex-esposa, Eliane Favoretto registrarem um boletim de ocorrência por assédio sexual na Promotoria da Infância e Juventude de Cuiabá. Após o registro da denúncia, Satélite foi até a Deddica conversar com Valente. Na oportunidade, ele chamou o personal de “pedófilo e vagabundo”.

“Atitudes estão sendo tomadas. Minha filha disse que teve apenas a tentativa de um vagabundo, que tentou assediar uma criança de 12, 13 e 14 anos. Isso pra mim é coisa de pedófilo”, comentou o parlamentar.

O caso veio à tona quando a mãe da adolescente, que conheceu o personal junto com a filha em 2016, postou no Facebook que o personal estaria assediando a filha desde o Natal de 2017, inclusive a chamando para dormir com ele. Na fé de que iria apenas denunciar, o caso ganhou grande proporção, o que fez com que os pais acionassem a polícia e denunciassem o caso. Um dia após grande repercussão, a mulher deletou as mensagens da rede social.

Devido a isso, o delegado Daniel Valente resolveu abrir inquérito para investigar o caso. Por se tratar de denúncia envolvendo menor de idade, ele preferiu não comentar sobre as investigações. O que foi adiantado é que o celular e as redes sociais da menina estão sendo periciados e o personal, suspeito do assédio, também irá prestar esclarecimentos sobre o fato. A data, no entanto, não foi informada.

Ainda na delegacia, o advogado do personal declarou ao HiperNotícias que seu cliente é inocente e que toda as provas disso serão expostas nos autos do processo.

 

Fonte: FolhaMAx

BANNER-NETWORK
COMPARTILHAR

Comentários