Compra de equipamentos adia entrega do novo PS; licitação é lançada nesta segunda

Prefeito prevê disputas judicais entre empresas, mas garante obra até o primeiro semestre deste ano

O novo pronto-socorro de Cuiabá não será mais entregue no dia 8 de abril, data do aniversário da capital. Quem afirma isso é o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que alerta que brigas judiciais nas licitações para compra dos equipamentos podem atrasar a entrega da obra.

O chefe do executivo municipal irá lançar ainda nesta segunda-feira o primeiro dos três processos licitatórios para compra de equipamentos do novo hospital. O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira, durante uma visita a obra, juntamente com o governador Pedro Taques (PSDB).

Segundo o prefeito, como se trata de um processo licitatório, brigas judiciais entre as empresas que irão concorrer podem atrasar a entrega dos equipamentos e preferiu dar uma previsão mais cautelosa. “Como não podemos prever se haverá impugnações ou brigas judiciais nas empresas ou com quem for concorrer, não dá para dizer que vamos entregar, em pleno funcionamento, o novo Pronto Socorro no aniversário de Cuiabá, no dia 8 de abril, como era o nosso projeto e nosso planejamento. Mas uma coisa é certa. Independente destas pendências que poderão vir, até o final do primeiro semestre iremos entregar a obra em pleno funcionamento”, disse Emanuel, confirmando que a obra física deverá estar conclusa até abril deste ano.

Ele também explicou como será feita a licitação para a compra de equipamentos. “Hoje será lançado o primeiro de vários lotes, no valor de R$ 18 milhões. Daqui a 15 dias será lançada a segunda etapa, com mais lotes, no valor de R$ 15 milhões para a compra do instrumental e em mais 10 dias a terceira e última etapa, com vários lotes para mobiliários e utensílios, num total de R$ 48 milhões”, completou.

O prefeito também afirmou que entregará no aniversário de Cuiabá a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Verdão. A obra estava suspensa porque a empresa que tocava declarou falência quando os serviços já estavam mais de 90% conclusos.

Retomada, não deve demorar para ser terminada e entrar em funcionamento. Durante a visita as obras, o gestor explicou que mantém um bom relacionamento com o governador Pedro Taques, apesar de serem opositores. Segundo ele, as questões políticas foram “deixadas de lado” para poderem trabalhar juntos por Cuiabá.

 

Fonte: FolhaMax

COMPARTILHAR

Comentários