Veja a lista de postos de combustíveis fraudulentos

Dezenove postos de combustíveis receberam a visita da força-tarefa, coordenada pela Polícia Judiciária Civil por meio da Delegacia Especializada do Consumidor (Decon).

Destes, 13 apresentaram irregularidades e foram notificados pela equipe da Secretaria de Fazenda (Sefaz), que participou da fiscalização.

A força-tarefa teve inicio na terça-feira (27) e encerrou ontem e também conduziu 13 pessoas (dono, gerentes administrativo e supervisor) para esclarecimentos à Decon, referente a irregularidades detectadas nas vistorias realizadas.

De acordo com a Decon, até ontem a fiscalização identificou 9 postos caracterizados como “Clones” – aquele que utiliza fachada de determinada marca reconhecida no mercado, mas o combustível é adquirido de outra distribuidora.

São eles:  Posto Universitário (Bandeira Branca) – Av. Dom Orlando Chaves, Cristo Rei, Várzea Grande; Posto Amazônia 4 – Comercial Amazônia de Petroléo, Av Presidente Marques, Cuiabá; Posto Amazônia 5, Rua Joaquim Murtinho 810, esquina com a Dom Bosco, Centro Sul, Cuiabá; Posto Estação, Av. Presidente Artur Bernardes, Jardim Aeroporto,  Várzea Grande; Posto Vista Alegre, Rua Vereador Abelardo de Azevedo, Vista Alegre, Várzea Grande; Auto Posto Via Brasil, Avenida Comandante Costa, esquina com a Dom Bosco, Cuiabá; Posto Amazônia 3, Avenida Historiador Rubens de Mendonça, Cuiabá; Posto Amazônia 8, Rodovia Mario Andreazza, Várzea Grande; Posto Vip Rui Barbosa, Avenida Rui Barbosa, Recanto dos Pássaros, Cuiabá.

Entre os 13 postos, em 5 foram detectadas fraudes na bomba: Posto Red Serv Comércio de Combustíveis (Bandeira Branca), Rua Barão de Melgaço, 1.035, Porto, Cuiabá; Auto Posto Via Brasil, Avenida Comandante Costa, esquina com a Dom Bosco, Cuiabá; Posto Bom Clima (Bandeira Shell), Avenida República do Líbano, 1628, Monte Líbano, Cuiabá; Posto Amazônia 8, Rodovia Mario Andreazza, Várzea Grande; Posto Vista Alegre, Rua Vereador Abelardo de Azevedo, Vista Alegre, Várzea Grande.

As denúncias começaram a ser averiguadas há seis meses, quando a Polícia Civil iniciou o levantamento dos postos com supostas irregularidades, que estão sendo confirmadas pelos integrantes dos órgãos envolvidos na operação.

Ao final do trabalho será divulgada lista completa dos estabelecimentos irregulares.

Fonte: CircuitoMT

BANNER-NETWORK
COMPARTILHAR

Comentários