OAB-MT recorre à Justiça para adiar pagamento de custas processuais durante greve nos bancos

leoJá se precavendo dos transtornos futuros decorrentes da greve dos bancos, que teve início na terça-feira (6) e abrange todo o país, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Mato Grosso busca na Justiça o direito de pagar as custas processuais no primeiro dia útil após o término da paralisação.

O presidente da OAB-MT, Leonardo Campos, informou que irá buscar o Tribunal de Justiça, o Tribunal Regional do Trabalho e a Justiça Federal para que seja possível efetuar os pagamentos assim que a greve acabar.

“Ainda há muitos advogados que efetuam estes pagamentos no caixa e, para evitar que haja transtornos quanto à falta do pagamento, estamos buscando esta alternativa”, disse o presidente.

Conforme relatou, nem todo são adeptos dos pagamentos online e existem prazos para efetuar os pagamentos referentes aos recursos. Estas quitações devem ser feitas para que haja andamento no processo e para que o advogado não perca prazos. Um dos requisitos para que um recurso seja analisado é a guia de pagamento juntada aos autos do processo.

“Por exemplo: há um recurso que vence hoje o prazo, mas sem o atendimento não há como pagar. Então ele protocola o recurso hoje e só vai fazer a juntada da guia quando o atendimento bancários for normalizado”, explicou Campos.

Além de buscar na Justiça esta possibilidade, o presidente da OAB-MT informou que tem conversado com o Sindicato dos Bancários (SEEB) e bancos para que haja atendimento em alguns dias da semana, em determinados horários, para que sejam efetuados tais pagamentos.

“Outro ponto é com relação ao levantamento dos alvarás. Por exemplo, você ganhou uma ação trabalhista e a empresa depositou em juízo; como é uma verba alimentar, como que o cidadão vai sem sacar o dinheiro se a greve durar 30 dias?”, questiona Leonardo Campos.

 

Fonte: Hipernotícias

COMPARTILHAR

Comentários