Mais de 100 reeducandas são vacinadas contra H1N1

hhrtrtO Governo de Mato Grosso vacinou mais de 1 mil servidores públicos e recuperandos em duas unidades penitenciárias do Estado.

A atividade imunizou 200 servidores e 768 detentos do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), e 134 mulheres da Cadeia Pública Feminina de Rondonópolis contra a influenza, doença viral febril, aguda, geralmente benigna, conhecida como gripe.

A vacinação será realizada em todas as unidades do Sistema Penitenciário (Sispen).

A ação é resultado do trabalho entre a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e as secretarias municipais de saúde onde estão localizadas as mais de 60 cadeias, centros de detenção provisória e penitenciárias.

A diretora da Cadeia Feminina de Rondonópolis, Silvana de Santos Lopes, e o diretor do CRC, Winkler Teles de Freitas, destacam que a ação, além de proteger a saúde de todos, promove também a ressocialização dos assistidos.

A vacina disponibilizada na rede pública em 2016 é trivalente, ou seja, proteje contra os seguintes vírus: Influenza A (subtipo H1N1), Influenza A (subtipo H3N2) e Influenza B (subtipo Brisbane). Febre, mal estar e dor no local de aplicação são algumas das reações esperadas pós vacina.

“A vacina é indicada principalmente para a população vulnerável, como crianças [maiores de 6 meses e menores de 5 anos] e idosos [maiores de 60 anos]”, explica a enfermeira da Diretoria de Saúde do Sispen, Maria Cristina Marquesi.

A Diretoria de Saúde esclarece que é aconselhável a administração da vacina à população vulnerável, nesse caso reeducandas e quem trabalha no sistema prisional, mesmo aquelas que já a fizeram em anos anteriores, pois a vacina possui validade de um ano e os vírus se modificam conforme maior incidência dos mesmos.

 

Fonte: AgoraMT

COMPARTILHAR

Comentários